João Urbano é autor do livro de ficção Romance Sujo (Romance, Edições UR, 2010) e do livro Políbio no Jardim Metafísico (drama poético, edições Mortas, 2003). Em 2003 fundou a revista de arte e ciência NADA, da qual é coordenador. Foi editor de literatura e pensamento na Número Magazine entre 2001 e 2002. Colaborou com o coletivo Pogo Teatro como dramaturgo e cocriador nas peças pluridisciplinares: Cujo (Teatro Taborda,1997); Mainstream (CCB,1999); Play-Pause (Discoteca Lux, 2000). Participou como argumentista nos filmes/instalação realizados pelo coletivo Pogo Teatro: No Exit (exibido no Festival Número, 2000); Mainstream (CCB,1999).
João Urbano is the author of the fictional novel Romance Sujo [Dirty Romance] (Romance, Edições UR, 2010) and also of Políbio no Jardim Metafiscio [Polybius in the Metaphysical Garden] (poetic drama, edições Mortas, 2003). In 2003, he founded the arts and science magazine NADA, of which he is the coordinator. He was editor of the literature and thought section of Número Magazine between 2001 and 2002. He collaborated in the Pogo Teatro collective as a playwright and the co-creator of various multidisciplinary plays: Cujo (Taborda Theatre, 1997); Mainstream (Centro Cultural de Belém, 1999); Play-Pause (Lux Nightclub, 2000). Urbano participated as a screenwriter in the films/installations performed by the Pogo Teatro collective: No Exit (screened at the Número Festival, 2000); Mainstream (Centro Cultural de Belém, 1999).